Rota Romântica na Alemanha: o que ver

Até pouco tempo atrás não tinha ouvido falar sobre a Rota Romântica localizada no sul da Alemanha, mas quando fui pesquisar recentemente sobre o destino, fiquei surpresa ao descobrir que é uma das atrações turísticas mais populares do país.

img_6933
Rota Romântica na Baviera

Mas afinal, o que é a Rota Romântica?

É um percurso de quase 400km de estradas que recortam 28 cidades no estado da Baviera – de norte a sul – entre o rio Main e os Alpes, cuja marca registrada é a cultura e hospitalidade aliada a lindas paisagens naturais.

Adorei a simpatia do povo!

mapa1.png
Mapa Rota Romântica – Fonte foto: site Guia Viajar Melhor

No percurso há florestas, montanhas, muitos campos verdes, castelos, lagos, igrejas e pequenas cidades super charmosas, muitas delas medievais.

Como surgiu a Rota Romântica?

Após a Segunda Guerra Mundial, o governo alemão estava desesperado para reconstruir a indústria turística e passar uma visão mais positiva do país para o mundo. Assim, por volta de 1950 houve a ideia de explorar as diversas atrações da Baviera e criar uma rota para incentivar o turismo na região.

img_7041
Lago na cidade de Schwangau

Incialmente o objetivo era atrair os soldados americanos que cuidavam da região alemã ocupada e que passavam férias com seus amigos e familiares no país.

No decorrer dos anos a Rota Romântica ganhou cada vez mais notoriedade e ainda hoje atrai muitos turistas!

O que ver na Rota Romântica?

Como há várias cidades, vale a pena fazer uma pesquisa detalhada pra definir quais quer conhecer e onde vai dormir. Além dos artigos dos diversos blogs sobre turismo, vale a pena conferir o App da Rota Romântica, que faz uma breve introdução sobre todas as cidades e mostra as principais atrações turísticas de cada uma delas.

img_6903
Baviera – Rota Romântica

As cidades mais famosas da rota são: Füssen (extremo sul), Schwangau (por causa do castelo mais lindo e famoso da região), Augsburg, Dinkelsbühl, Rothenburg ob der Tauber e Würzburg (extremo norte), porém há outras que também merecem ser visitadas, por isso vale a pena pesquisar antes!

Füssen

Localizada à beira dos Alpes, é a cidade mais alta da Baviera e tem lindas paisagens.

O centro histórico de características medievais é repleto de igrejas barrocas e lindas construções.

Vale a pena dar uma voltinha por lá e sentar num dos vários cafés charmosos.

A menos de 4km de Füssen fica uma das atrações mais lindas e interessantes de toda Rota Romântica, o Castelo de Neuschwanstein.

Schwangau

Na verdade essa pequena cidade só entra como destaque na lista de cidades mais famosas da rota, porque tecnicamente o Castelo de Neuschwanstein fica lá (e não em Füssen).

img_7001
Schwangau – Castelo de Neuschwanstein

Logo mais vou preparar um post específico sobre a visita ao castelo, que é o mais lindo que já vi!

O que posso adiantar é que é de fato imperdível e é preciso reservar uma manhã ou tarde toda pra explorar o entorno do castelo e fazer uma visita guiada por seu interior.

img_6956
Castelo de Neuschwanstein – visto pela ponte Marienbrucke

Além desse, há outro castelo na cidade, o Hohenschwangau e também o Museu dos Reis da Baviera (há bilhete combinado para visitar as três atrações).

img_7034
Castelo de Hohenschwangau
img_7045
Museu dos Reis da Baviera

Steingaden

Fizemos uma parada rápida nessa minúscula cidade pra conferir de perto a famosa Igreja de Wieskirche. 

img_7136
Linda Igreja de Wieskirche

Em estilo rococó e listada como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, a igreja virou ponto de peregrinação por conta de uma imagem de Cristo Flagelado que supostamente derramava lágrimas.

Dica: Não deixe de provar o Kucherl que é vendido na entrada de um restaurante em frente a igreja. É algo super simples, uma massa frita leve e com um pouco de açúcar por cima, uma delícia!

img_7134
Kucherl

Augsburg

Fundada há mais de 2.000 anos pelo imperador romano Augusto, é uma das cidades mais antigas da Alemanha.

img_7155
Centro histórico de Augsburg

Ao contrário das demais cidades que visitamos, Augsburg é grande e achei pouco charmosa, porém devido a seu passado de glória (comércio e negócios bancários), vale a pena dar uma conferida no centro da cidade.

img_7160
Augsburg

Caminhe pela rua Maximiliano (Maximilianstrabe) e aprecie as fachadas renascentistas e barrocas das lindas construções e as três fontes d’água espalhadas ao longo da rua.

Vale a pena também dar um pulinho da Igreja St. Ulrich, uma das mais importantes da cidade.

img_7146
Igreja St. Ulrich
img_7148
Interior da Igreja St. Ulrich

Harburg

Essa é outra cidade minúscula da região, porém ela abriga o castelo mais bem preservado da Alemanha.

img_7177
Castelo de Harburg

Há evidências de que o Castelo de Harburg foi construído por volta de 1150, porém os historiadores dizem que devido a seu estilo arquitetônico, muito provavelmente foi construído no século X para defender o território contra as invasões húngaras.

Geralmente o castelo fica aberto para visitação de meados de março até o final de outubro. Clique aqui pra obter mais informações.

img_7200
Castelo de Harburg

Nós não fizemos a visita guiada, somente passeamos na parte externa, que não é nada absurdamente incrível, mas valeu os 3 euros do ingresso.

img_7181
Vista da região de Baviera

Nördlingen

Incluí essa cidade no nosso roteiro porque fiquei curiosa em conhecer a cidadezinha que foi construída numa cratera provocada há milhões de anos atrás por um meteorito.

Do alto da Igreja St. Georg (90m de altura) dá pra ver o formato circular da cratera onde a cidade foi construída. Infelizmente não pudemos subir, pois a Igreja estava fechada para trabalhos de restauração.

É possível caminhar pelas muralhas da cidade que serviam de defesa no passado e observar suas 14 torres construídas entre os séculos XIV e XV, praticamente intactas até os dias de hoje.

O centro histórico é bonitinho e vale a pena caminhar também por lá durante um tempo.

Dinkelsbühl

Essa é outra pequena cidade fortificada, de características medievais e uma das mais bem preservadas de toda Alemanha.

img_7242
Casinhas coloridas de Dinkelsbuhl

As casinhas coloridas são o grande destaque, então a ideia é passear pelo centrinho e tirar muitas fotos!

img_7249
Dinkelsbuhl

Rothenburg ob der Tauber

Essa é definitivamente a cidade mais bonita e interessante da Rota Romântica, verdadeira unanimidade entre todos que visitam a região!

img_7371
Rothenburg ob der Tauber

Parece uma cidade de contos de fada, inclusive dizem que Walt Disney se inspirou nela pra construir o cenário da vila de Gepeto, do lendário desenho Pinóquio.

Há diversos atrativos na cidade, a começar pela muralha que circunda a cidade e onde é possível caminhar para ver as construções mais do alto e o portão da cidade que data do século XIV.

O principal cartão-postal de Rothenburg fica na bifurcação das ruas Obere Schniedgasse e Plonlein, uma graça.

img_7373
Principal cartão-postal de Rothenburg

Lá perto, na praça principal (Markplatz) fica o Ratistrinkstube, prédio da Câmara Municipal onde está o Relógio Astronômico.

img_7366
Markplatz

Diz a lenda, que durante a Guerra dos 30 anos, o General Tilly lançou o seguinte desafio: quem conseguisse beber, num só gole, um cântaro de vinho de 3,25L de uma só vez, teria sua cidade poupada da destruição e saqueamento. E foi assim, que Nush, prefeito da cidade na época, virou todo o vinho num só gole e poupou a cidade de ser destruída.

Por conta dessa lenda, a cada hora cheia acontece um showzinho no relógio. As janelas se abrem e numa delas aparece um boneco do ex-prefeito bebendo vinho!

img_7359
Relógio Astronômico

É dessa praça também que parte quase que diariamente as visitas guiadas com o Nightwatchman, um guia local vestido com roupas de época que conta histórias interessantes sobre a cidade. Vale a pena passar no Centro de Informações Turísticas da cidade pra se informar melhor sobre as saídas dos tours.

Pra quem adora o tema Natal, não deixe de conferir o Museu Natalino que apresenta enfeites de diversas épocas, inclusive alguns do século XV. Inclusive há diversas lojas de enfeites de natal, simplesmente lindos!

Definitivamente vale a pena passar a noite em Rothenburg e uma opção de lugar interessante pra jantar é o restaurante Zur Höll, uma taverna super antiga da cidade, onde os pratos são deliciosos e o ambiente super aconhegante. Nós adoramos! Dica: Faça reserva, costuma ter fila de espera e muita gente não chega a conseguir mesa.

Outra coisa imperdível, que na verdade você encontra também em várias outras cidadezinhas da região, é provar o Schneeball, doce típico da época de natal para os alemães do sul.

img_7343
Schneeball
img_7065
Schneeball

Würzburg

Essa era a última cidade do nosso roteiro, mas no final das contas não tivemos tempo de passar por ela e seguimos direto pra Frankfurt, onde devíamos devolver o carro.

Alguns pontos de visitação na cidade: fortaleza de Marienberg, Residência dos Princípes-Bispos e subir o morro ao lado do forte para ter uma vista bonita da cidade. Eles tem várias vinícolas na cidade e o vinho branco de Würzburg é famoso.

Se alguém visitou e tem dicas do que fazer na cidade, compartilha com a gente aí nos comentários 😉

Como percorrer a rota romântica?

Ela pode ser percorrida de diversas maneiras: a pé (percurso de quase 500km), de bike (há ciclovias que conectam todas as cidades), de trem (acesso apenas à algumas cidades), ônibus que percorre todas as cidades da rota e de carro, que é a maneira mais prática de visitar as cidades, já que as estradas são ótimas e a rota não é super extensa.

img_7168
Rota Romântica

Nós optamos por ir de Paris, onde moramos, até Frankfurt de trem e na estação de trem mesmo retirar o carro que havíamos alugado com a Avis. Pra baratear a viagem, começamos e terminamos a viagem em Frankfurt (o bilhete ida/volta no mesmo lugar é geralmente mais barato), mas o ideal teria sido começar por exemplo saindo de Frankfurt sentido Würzburg e descer toda Rota Romântica e de Füssen seguir pra Munique, onde terminaria a viagem.

img_7171
Mapa Rota Romântica

Caso não tenha tempo ou vontade de fazer todo percurso da rota, uma opção de roteiro é chegar, por exemplo, em Munique e de lá visitar algumas cidades do sul, como Füssen e o Castelo de Neuschwanstein ou sair de Frankfurt e fazer algumas cidades do norte da rota até a cidade de Rothenburg.

Quantos dias é preciso pra percorrer a rota?

Depende de quantas cidades quiser conhecer e onde vai começar e terminar a viagem. Nós fizemos em 3 dias, mas foi bem corrido, tanto que não deu tempo de passarmos em Würzburg. Pra fazer com calma, sugiro no mínimo 4 dias.

img_7125
Rota Romântica

Quando ir?

Entre os meses de junho e setembro é quando a região está mais agitada, por conta dos festivais de verão nas cidades. Outra época animada é do final de novembro até o Natal, quando acontecem as feirinhas natalinas (Natal parece ser algo sério por lá…rs).

Nós fomos no final de outubro, os dias já estavam bem frios, porém a paisagem de outono estava esplêndida. Uma das coisas que mais gostei foi o visual das árvores amarelas e laranjas contrastando com os imensos campos verdes.

img_7039
Schwangau – Rota Romântica
img_7073
Fussen – Rota Romântica
img_7170
Rota Romântica no outono
img_7075
Rota Romântica no outono

🙂

Melissa

 

Anúncios

5 Comments »

  1. Estou querendo fazer a rota romântica de carro, mas estou com uma série de duvidas sobre aluguel, estradas, direção, seguro, estacionamento e outras coisas sobre dirigir na Alemanha. Como foi a experiência de vocês?

    • Olá Francisco, tudo bem? Nossa viagem por lá foi bem tranquila, alugamos o carro no aeroporto de Frankfurt e tbm devolvemos lá, pois era mais barato o voo chegando e saindo pelo mesmo lugar, mas uma alternativa seria devolver o carro em Munique, por ex. As estradas na Alemanha são perfeitas, não há limite de velocidade e nem pedágios, com GPS da pra se virar super bem! Eles são educados no trânsito, então é tranquilo dirigir por lá! Procure uma locadora grande, como por ex a Europcar, porque as grandes nos passam mais segurança etc. Quando a estacionamento não tivemos dificuldade em estacionar nas cidadezinhas ou atrações, alguns lugares são mais visitados, mas sempre achamos vagas. Alguns são pagos e outros não. Dependendo da cidade e do horário em que for deixar o carro, será preciso comprar uma espécie de “zona azul”, tem máquinas na cidade. Isso foi meio chato, porque tinham cidades em que víamos que não podia parar, pois as vagas são sinalizavas nas ruas e dava pra entender que precisava pagar, mas a gente não achava onde comprar. O negócio é ter paciência, procurar algum lugar onde possa parar sem o ticket (ex. fora da cidade murada, quando essa é bem pequena) ou caçar pequenos estacionamentos dentro da cidade. Mas fique tranquilo Francisco, é um lugar amigável pra dirigir! Espero ter ajudado, avise caso tenha mais dúvidas! Abraços, Melissa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.