6 castelos imperdíveis no Vale do Loire

As terras férteis do Vale do Loire seduziram a corte francesa no século XVI, e a partir daí foram sendo construídos mais e mais châteaux na região. No total, o Vale do Loire conta com mais de 300 castelos, cujas magníficas construções guardam muitas histórias interessantes.

Diante de tantas opções, compartilho aqui os 6 que você não pode deixar de visitar na região!

mapa-loire
O ponto A é o mais próximo de Paris – F o mais longe

As dicas práticas da viagem estão no final do post 😉

1 – UM CASTELO QUE PARECE CENÁRIO DE CONTO DE FADAS – CHAMBORD

O Castelo de Chambord é o maior castelo do Vale do Loire e é o que mais se parece com os castelos dos contos de fada!

img_5029
Castelo de Chambord

Foi construído no início do século XVI para servir como castelo de caça para o Rei Francisco I (1494 – 1547), que mantinha residência em outros dois castelos no Vale do Loire (Amboise e Blois). Aliás, se prepare, você vai ouvir muito o nome dele na viagem pela região!

Se por fora a construção é impressionante, por dentro não há muito o que ver. Isso porque o Rei Francisco I se hospedou lá somente algumas curtas temporadas, que totalizou apenas 7 semanas. Por conta disso, o castelo nunca foi totalmente mobiliado.

O ponto alto do interior do castelo é a escadaria central construída em dupla-hélice, ou seja, quem a sobe não cruza com quem a desce. Dizem que possivelmente foi Leonardo da Vinci quem a desenhou, mas não há confirmação.

Quanto as breves idas do Rei Francisco I ao castelo, essas eram grandes acontecimentos, pois ele levava consigo cerca de 2.000 pessoas! A logística era bem complexa, já que ele levava também diversos móveis, aliás, foi nessa época que surgiram móveis desmontáveis.

img_0322
Castelo de Chambord

Após a morte do rei em 1547, o castelo ficou totalmente abandonado e entrou num estado de decadência. Sua recuperação começou a acontecer somente a partir de 1639, quando outros reis passaram a utilizá-lo também como castelo de caça.

Porém, com a Revolução Francesa o castelo foi depredado e os poucos móveis totalmente destruídos. Somente após o fim da Segunda Guerra Mundial é que passou a ser restaurado. Hoje é considerado uma das principais atrações turísticas da França!

img_0313
Castelo de Chambord

Por falar em guerra, uma curiosidade: Em 1939, pouco antes do início da Segunda Guerra, as coleções de arte do Louvre foram escondidas no castelo de Chambord, para evitar assim o saque das obras pelos nazistas (Hitler adorava obras de arte).

Não vá embora sem subir no terraço do castelo, de onde se tem uma vista bonita da região e de alguns detalhes da arquitetura da construção.

img_0325-pano
Vista panorâmica do terraço do Castelo de Chambord

Como chegar: De carro: 2h de Paris (fica a 180 km do sul da capital). De trem: Paris-Gare d’Austerlitz – descer em Blois-Chambord (cerca de 1h30) + Navette até o castelo (cerca de 30 minutos) de abril a setembro. Fora desse período, somente táxi para chegar no castelo.

Clique aqui para consultar todos os detalhes da visita: preços, horários de funcionamento e horários da Navette.

2 – UMA DAS RESIDÊNCIAS DE UM DOS PRINCIPAIS REIS DA FRANÇA – BLOIS

O castelo de Blois, que já serviu de residência oficial de 7 reis e mais de 10 rainhas, possui uma miscelânea de estilos arquitetônicos, sinal de que sua construção foi realizada em diferentes períodos.

img_0396
Castelo de Blois

Dentre esses moradores ilustres, destaca-se o rei Francisco I, um rei importante na história da França. Foi ele quem constituiu a monarquia absolutista no país e que instituiu o francês como língua oficial (antes haviam diversos dialetos).

Seu símbolo é a salamandra, por isso você irá se deparar com ela nesse e nos demais castelos onde ele morou!

img_5143
Salamandra – símbolo do Rei Francisco I

No interior do castelo há outro símbolo forte da monarquia francesa, a flor-de-lis. Ela está por toda parte nos castelos!

img_5134
Flor-de-lis – símbolo da monarquia francesa

Não deixe de dar uma passada na ala Luís XII, pois lá fica o Museu de Belas Artes que abriga tapeçarias francesas, assim como pinturas e esculturas dos séculos XVI e XIX.

O interior do castelo é muito bonito e guarda objetos incríveis! As lareiras são o que mais gostei.

Do entorno do castelo se tem também uma vista muito bonita da cidade de Blois!

img_8246
Castelo de Blois

Como chegar: De carro: 2h de Paris (fica a 180 km do sul da capital). De trem: Paris-Gare d’Austerlitz – descer em Blois-Chambord (cerca de 1h30). Da estação de trem até o castelo: 7 minutos a pé ou táxi.

Clique aqui para consultar todos os detalhes da visita: preços e horários de funcionamento.

3 – UM CASTELO DISPUTADO – AMBOISE

O lado externo do Castelo Amboise já reserva lindas surpresas.

img_5181
Castelo de Amboise

A começar pela linda vista do rio Loire…

E principalmente pelo que guarda a Capela de São Humberto, localizada no pátio externo do castelo.

Lá está enterrado o pintor italiano Leonardo da Vinci, amigo do Rei Francisco I, que morou também nesse castelo.

img_0423
Capela de São Humberto – túmulo Leonardo da Vinci

Não foi só Francisco I que morou lá, o castelo foi habitado na verdade por quase todos os reis e rainhas das dinastias Valois e Bourbon.

O castelo de Amboise foi palco de intrigas e disputas e por isso ao longo dos séculos teve períodos de abandono e também sofreu diversas demolições.

img_0421
Castelo de Amboise

Graças as restaurações que passou a sofrer a partir do século XIX, podemos visitá-lo hoje em dia! Vale ressaltar que o tamanho atual da propriedade representa apenas um quinto do que Amboise já foi no passado.

Quanto a amizade do Rei Francisco I com Leonardo da Vinci, dizem que há uma passagem secreta que liga o Castelo de Amboise ao próximo castelo da lista, o Clos Lucé, onde viveu o pintor italiano a convite do rei. Dá pra ir andando até lá!

Como chegar: De carro: 2h30 de Paris (fica a 226 km do centro da capital). De trem: Paris-Gare d’Austerlitz – descer em Amboise (cerca de 2h). Da estação de trem até o castelo: 20 minutos a pé ou táxi. De trem rápido TGV: Gare de Montparnasse – descer na estação St Pierre des Corps (cerca de 50 minutos) em Tours. De lá até o castelo são 20 km.

Clique aqui para consultar todos os detalhes da visita: preços e horários de funcionamento.

4 – O CASTELO ONDE MOROU LEONARDO DA VINCI – CLOS LUCÉ

O Castelo Clos Lucé é um castelo bem mais modesto, porém ficou famoso porque serviu de residência para Leonardo da Vinci de 1516 a 1519.

img_0492
Castelo Clos Lucé

O Rei Francisco I admirava bastante o trabalho do pintor italiano e o convidou a morar na França. Em 1516, com 64 anos de idade, Leonardo aceitou o convite e foi de mala e cuia para o Loire. Levou consigo materiais de seus estudos e algumas de suas obras, entre elas, a famosa Monalisa.

Viveu no castelo de Clos Lucé somente três anos, mas foi tempo suficiente pra estreitar ainda mais sua relação com o rei, que até o chamava de pai.

O lugar foi todo restaurado e é emocionante andar por lá. O quarto do pintor, por exemplo, foi todo mobiliado com réplicas dos móveis da época.

img_5231
Quarto de Leonardo da Vinci – Clos Lucé

Uma parte da visita é dedicada a mostrar o lado engenheiro de Leonardo da Vinci, onde estão expostas no antigo porão esboços de seus projetos, vídeos e 40 máquinas construídas pela IBM a partir de desenhos que ele deixou.

Um dos pontos mais interessantes da visita é o Parque do Conhecimento, um incrível espaço verde de 7 hectares que abriga 20 maquetes gigantes de algumas das invenções do artista, com as quais os visitantes são convidados a interagir.

Como chegar: De carro: 2h30 de Paris (fica a 226 km do centro da capital). De trem: Paris-Gare d’Austerlitz – descer em Amboise (cerca de 2h). Da estação de trem até o castelo: 25 minutos a pé ou táxi. De trem rápido TGV: Gare de Montparnasse – descer na estação St Pierre des Corps (cerca de 50 minutos) em Tours. De lá até o castelo são 20 km.

Clique aqui para consultar todos os detalhes da visita: preços e horários de funcionamento.

5 – “O CASTELO DAS 7 DAMAS” – CHENONCEAU

O Castelo de Chenonceau é onde há maior concentração de turistas, pois é o segundo mais visitado da França (só perde para o Castelo de Versalhes)!

img_0549
Castelo de Chenonceau

O motivo? Arquitetura fantástica, um dos castelos mais bonitos por dentro, seus lindos jardins simétricos e uma história incrível!

img_0576
Castelo de Chenonceau

O caminho que percorremos do estacionamento ao castelo já é especial, repleto de árvores…

img_0589
Chegada ao Castelo de Chenonceau

De longe se vê o lindo castelo, construído sobre uma ponte que atravessa o rio Cher, um dos afluentes do rio Loire!

img_5369
Castelo de Chenonceau

Agora você deve estar se perguntando porque ele é conhecido como “Castelo das 7 Damas”!, certo?! O apelido é por causa das mulheres poderosas que lá moraram, das quais duas foram rainhas da França.

Para não ser exaustivo vou destacar as principais! Uma das mais famosas foi Diana de Poitiers, amante preferida do Rei Henrique II, que deu a ela o castelo. Foi ela quem mandou construir os jardins e cuidou da propriedade como ninguém.

img_0578
Jardim do Castelo de Chenonceau

Com a morte do Rei Henrique II, Diana foi expulsa de Chenonceau pela viúva do rei, a maquiavélica Catarina de Médicis. Como ela não podia jogá-la na rua, a mandou para um castelo bem menor na região, o Chaumont.

Catarina investiu uma verdadeira fortuna em Chenonceau, pois queria apagar as marcas de Diana no castelo e deixar as suas. Ela fez várias reformas, entre elas a construção da Grande Galeria, sala do castelo sobre o rio Cher onde aconteciam festas grandiosas.

img_5383
Grande Galeria – Castelo de Chenonceau

Foi ela também que promoveu a primeira festa com queima de fogos na França, em celebração a coroação de seu filho Henrique III como rei da França.

Quanto ao interior do castelo, ele é muito bem preservado e dentre os lindos aposentos coloridos destaca-se um todo preto, pertencente a uma outra dama que habitou o castelo, Louise de Lorraine-Vaudémont. Após ficar viúva muito cedo do Rei Henrique III, Louise entrou em depressão e ordenou que seu quarto fosse todo preto. Ela também acabou na época com as festas no castelo!

Vale a pena chegar cedo para tentar evitar grande aglomeração de turistas.

Como chegar: De carro: 2h30 de Paris (fica a 240 km do centro da capital). De trem rápido TGV: Paris-Gare de Montparnasse – descer em St Pierre des Corps (cerca de 1h) em Tours. Lá pegar outro trem até a estação Chenonceaux, com “x” mesmo (cerca de 25 minutos).

Clique aqui para consultar todos os detalhes da visita: preços e horários de funcionamento.

6 – O JARDIM MAIS MAGNÍFICO – VILLANDRY

O Castelo de Villandry não foi construído para servir como residência real.

img_5256
Castelo de Villandry

Foi Jean Le Breton, Ministro das Finanças do Rei Francisco I que ao chegar na região em 1532 encontrou estruturas da época medieval no local e a partir dela fez seu castelo.

Esse foi o último dos grandes castelos construídos no Vale do Loire!

A construção mudou de dono diversas vezes ao longo dos séculos e desde 1906 pertence à família Carvallo, que restauraram o castelo e investiram num magnífico jardim renascentista, que é o grande destaque da propriedade.

img_5300
Jardins de Villandry

Há uma equipe enorme de jardineiros para dar conta de cuidar do enorme jardim, que tem labirintos, lago e forma diversos desenhos.

Do terraço do castelo se tem a vista mais espetacular do jardim!

img_0515
Jardins Castelo de Villandry

Os ambientes internos do castelo estão muito bem preservados e vale a pena também conferir com calma, há diversos detalhes interessantes!

Como chegar: De carro: 2h30 de Paris (fica a 240 km do centro da capital). De trem rápido TGV: Paris-Gare de Montparnasse – descer em St Pierre des Corps (cerca de 1h) em Tours ou na estação de Tours. De lá até o castelo pegar um táxi (cerca de 20km).

Clique aqui para consultar todos os detalhes da visita: preços e horários de funcionamento.

DICAS PRÁTICAS

QUANTOS DIAS PARA VISITAR OS CASTELOS DO VALE DO LOIRE?

Tem muita gente que decide fazer passeios bate-volta partindo de Paris, mas pra conhecer razoavelmente a região vale a pena reservar pelo menos 2 noites (3 é o ideal). Caso tenha poucos dias em Paris, é preferível conhecer outros castelos mais próximos à capital, como o de Versalhes, Chantilly, Vaux-le-Vicomte e por aí vai…

Se tiver bastante tempo no Vale do Loire, considere conhecer castelos menores, como o de BEAUREGARD. 

img_5121
Castelo de Beauregard

Foi construído por volta de 1550 e somente uma parte da construção é público, pois na outra parte é habitado ainda por uma família herdeira da construção. O ponto alto é uma galeria com 327 retratos de reis, rainhas, príncipes, papas, escritores, sábios e mais um monte de gente famosa que já passou por lá. A guia conta um pouco as histórias de algumas dessas figuras, inclusive a forma inusitada de  como alguns deles morreram.

O jardim é super agradável!

QUANTOS CASTELOS VISITAR POR DIA?

É recomendável visitar no máximo 2 castelos por dia, mais que isso é cansativo, considerando que os castelos são grandes e o ideal é entender a história e descobrir os detalhes de cada um deles. Além disso, as cidades da região são super charmosas, vale a pena ter tempo também para explorá-las!

COMO VISITAR O VALE DO LOIRE?

A maneira mais simpática e prática é de carro. Do sul de Paris até o Castelo de Chambord  (castelo mais próximo da capital) são cerca de 180 km.

Outra opção é ir de trem para alguma cidade grande, como Amboise ou Tours, e lá alugar um carro para rodar na região. Consulte aqui as passagens de trem!

Caso não queira se aventurar de carro pelas estradas, que diga-se de passagem são seguras e bem sinalizadas, uma empresa que oferece passeios de excursão de um dia partindo de Paris é a Paris City Vision.

Para os mais aventureiros e com disposição, há uma ciclovia super extensa na região e você pode definir qual itinerário quer percorrer, de acordo com seu preparo físico e interesses. Confira todos os detalhes da ciclovia e itinerários aqui.

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *